Açúcar oculto nos alimentos: Vilão para a saúde?

Uma preocupação atual da Organização Mundial de Saúde (OMS) é o elevado consumo de açúcar pela população mundial. A recomendação é que não ultrapasse 10% das calorias totais da dieta. Mas como fazer este cálculo? Para uma dieta de 2000 calorias o limite seria 50 g de açúcar o que equivale a 12 colheres de café.

Estudos desenvolvidos pelo Departamento de Nutrição da OMS demonstram que 25 g ao dia seria o ideal para se prevenir as cáries e o ganho de peso.

Controlar o açúcar que colocamos nos alimentos é uma tarefa fácil, mas nos deparamos com o chamado açúcar oculto. São aqueles adicionados pela indústria nos alimentos processados. Não somente nos alimentos doces, como também naqueles que jamais imaginaríamos que contivessem algum tipo de açúcar.

Eles estão presentes em mais de 70% dos alimentos vendidos nos supermercados, são “escondidos” sob mais de 60 nomes diferentes e são, muitas vezes difíceis de identificar nos rótulos. Os mais comuns são: maltodextrina, xarope de milho, xarope de glicose, glicose de milho, dextrose, frutose, extrato de malte.

A legislação brasileira não exige que nos rótulos haja a distinção entre os açúcares naturais dos alimentos e os adicionados que são incluídos no total dos carboidratos.

images1

Salgadinhos tipo batata frita com sabores (pizza, churrasco, etc.) contêm dois ou mais tipos diferentes de açúcares, adicionados seja para adoçar ou para conferir textura agradável. Isto também acontece em diversos tipos de biscoitos salgados.

O ketchup e os molhos tipo barbecue (levemente adocicados) contêm duas colheres de café de açúcar por colher de sopa do molho.

A questão é, por que não sentimos o sabor tão doce desta quantidade elevada de açúcar? Porque são açúcares com menor poder adoçante, usados como recurso tecnológico na indústria de alimentos.

O mesmo acontece em relação aos alimentos doces, vejam alguns exemplos:

images2

Agora é só fazer a conta: se tomarmos achocolatado no café da manhã, suco na hora do almoço e um refrigerante à noite acumularemos 16 colheres de café de açúcar. Valor acima do limite recomendado, que seria o de 12 colheres por dia. Isso sem contar o açúcar que adicionamos em casa aos alimentos.

Por isso, deixe que seu paladar volte a reconhecer e se acostumar ao sabor natural dos alimentos, perceba o sabor de sucos naturais, frutas e outras preparações sem precisar adicionar açúcar ou outros ingredientes que os mascaram. Use o açúcar com moderação para que ele possa ser um aliado das receitas que o requerem e não um vilão da saúde por causa de seu excesso. O consumo de alimentos in natura ou minimamente processados deve ser a base da nossa alimentação.

Fontes:
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2015/03/1598010-oms-quer-limitar-consumo-de-acucar-oculto-dos-alimentos.shtml

http://www.occupycorporatism.com/home/hidden-sugar-what-you-dont-know-could-make-you-sick/

Lia Buschinelli nutricionista do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC) in
http://www.vilamulher.com.br/bem-estar/nutricao/acucar-e-sal-mascarados-nos-alimentos-industrializados-11-1-70-753.html