Biodiversidade para Alimentação e Nutrição

Foto: Mulher manipulando mangaba – Arquivo MMA – J. Vital Souto

Utilizando a agrobiodiversidade para reduzir a fome e a desnutrição

A agrobiodiversidade, saúde e nutrição estão vitalmente conectados. A diversidade biológica entre culturas, animais e outros organismos utilizados para a alimentação e agricultura desempenha um papel importante no fornecimento dos diversos nutrientes necessários para o crescimento e vida saudáveis.

A biodiversidade também pode fornecer uma solução local para as condições nutricionais e de saúde relacionadas à alimentação, como obesidade e deficiências nutricionais, que estão se tornando um fardo crescente sobre os orçamentos de saúde. No entanto, grande parte desta diversidade e do conhecimento tradicional associado a ela está desaparecendo.

O Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF), o maior financiador público do mundo de projetos internacionais relacionados ao meio ambiente, está apoiando o Projeto “Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade para Melhoria da Nutrição e do Bem Estar Humano”, iniciativa liderada pelo Brasil, Quênia, Sri Lanka e Turquia. A coordenação do Projeto é realizada pela Bioversity International, com apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Nos quatro países, o Projeto aborda o declínio da diversidade da seguinte forma:

  • FORNECENDO EVIDÊNCIAS – Demonstrando o valor nutricional da agrobiodiversidade e do papel que desempenha na promoção de dietas saudáveis e fortalecimento dos modos de vida.
  • INFLUENCIANDO POLÍTICAS – Usando as evidências geradas pelo Projeto para influenciar políticas, programas e mercados que apoiam a conservação e uso sustentável da agrobiodiversidade com potencial nutricional para melhoria da nutrição e do bem-estar humano.
  • AUMENTANDO A SENSIBILIZAÇÃO – Disponibilizando ferramentas, conhecimento e melhores práticas para a intensificação do uso da biodiversidade para alimentação e nutrição em programas de desenvolvimento, cadeias de valor e iniciativas de comunidades locais.

Principais Beneficiados
Indivíduos, famílias e comunidades, especialmente mulheres e crianças, irão se beneficiar da seguinte forma: melhoria nas relações com os mercados e os benefícios que isso trará para seu modo de vida aumento na capacidade de resiliência e adaptação dos sistemas de produção tradicionais e utilização sustentável da agrobiodiversidade.

Principais Benefícios Ambientais Globais
– Conservação in situ de espécies-alvo da biodiversidade em quase 500 mil hectares de paisagem, nos locais selecionados pelo Projeto
– Uso de práticas de manejo sustentáveis por comunidades que vivem em locais similares aos selecionados pelo Projeto
 -Documentação e preservação do conhecimento associado à biodiversidade
– Conservação de habitats globalmente significativos que possuam biodiversidade nutricionalmente rica

Parceiros
O Projeto conta com financiamento adicional dos Governos dos quatro países e do Programa de Pesquisa em Agricultura para Nutrição e Saúde do CGIAR, além de apoio das seguintes entidades e programas internacionais: World Food Programme, Earth Institute da Universidade de Columbia, Crops for the Future, World Agroforestry Centre e do Centro Mundial de Vegetais (AVRDC). No Brasil, o Projeto é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o gestor financeiro é o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). Há parceria com as instituições gestoras das seguintes iniciativas federais: Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade (PNPSB), Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPMBio) e Ação Pró-Orgânicos/MAPA.

Para mais informações
bfnbrasil@gmail.com
www.b4fn.org
www.mma.gov.br