FAO lança novo debate online em nutrição escolar

4 June 2010, Amdi Woyane - School children eating lunch prepared by a group of women participating in a school feeding project.

A Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO) acaba de lançar uma nova discussão on-line sobre a alimentação escolar. Sob o tema “Como a alimentação escolar e atividades de nutrição podem promover hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida”, os participantes são convidados a contribuir, respondendo a três perguntas até o dia 05 de agosto.

*Programas de alimentação escolar e alimentação escolar e nutrição estão atualmente ganhando visibilidade e sendo implementados na África. Esta nova discussão online lançada pela FAO tem como objetivo compartilhar experiências e pontos de vista sobre as características destes programas e sobre como ampliá-los e fortalecer seus impactos a longo prazo. Existe um consenso global que reconhece a nutrição infantil como um elemento essencial para melhorar não só a saúde e o bem-estar das crianças em todo o mundo, mas também o desenvolvimento socioeconômico das comunidades e países.

As escolas desempenham papel central neste processo, como promotoras do conhecimento necessário para que as novas gerações tornem-se cidadãos ativos da sociedade. Elas também têm o potencial para se tornar poderosas plataformas para integração da nutrição, ao promoverem hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida.

Há ainda cerca de 795 milhões de pessoas no mundo que sofrem de insegurança alimentar, fome e desnutrição (SOFI, 2015). Por outro lado, em 2014, mais de 1,9 bilhões de adultos estavam acima do peso. Desse total, mais de 600 milhões eram obesos. 42 milhões de crianças no mundo, com menos de cinco anos de idade, são obesas. A maioria da população do mundo vive em países onde o excesso de peso e a obesidade matam mais pessoas do que aquelas que estão abaixo do peso. A dupla carga da desnutrição está afetando o desenvolvimento das crianças; portanto, é necessária uma atenção urgente, a fim de criar ambientes favoráveis para a promoção da alimentação saudável.

Em linha com as agências da ONU e da Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2), os governos comprometeram-se a melhorar o estado nutricional das crianças a partir de uma idade precoce. A liderança da África, através da União Africana (UA) e da Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD), acordaram previamente que a educação, a saúde e a nutrição das crianças pequenas, os líderes de amanhã, deve ser uma prioridade.

Programas de alimentação escolar são as intervenções de segurança alimentar mais conhecidas, baseadas na escola, muitas vezes concebidas como uma componente das políticas de proteção social. Esses programas oferecem comida (geralmente um lanche ou uma refeição leve ao meio-dia), e, quando devidamente programado e implementado, podem melhorar a alimentação e os nutrientes ingeridos nas escolas, mantendo e/ou aumentando a frequência das crianças. Programas de alimentação escolar conhecidos como “Home-grown school feeding (HGSF)”, adicionam ainda uma outra dimensão, ligando os programas de merenda escolar com a agricultura familiar. Isso permite uma procura estruturada de produtos, estimulando a economia local. De acordo com o NEPAD, atualmente, pelo menos 20 países africanos implementam programas de HGSF, que vão desde programas de Governo parcialmente apoiados por parceiros de desenvolvimento, para iniciativas plenamente financiadas pelos Governos.

No entanto, a fim de promover hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida, outros elementos, para além de programas de refeições escolares e demanda estruturada da agricultura familiar, terão de ser levados em consideração. O papel desempenhado pela comida nas escolas, além de garantir a segurança alimentar das crianças, também precisa ser sensorial, nutricional e pedagógico. Por isso é necessário associar a alimentação escolar, como uma experiência prática, com experiências pedagógicas, tais como educação nutricional e hortas escolares.

Para ajudar os governos a alcançar essas metas, a FAO implementa políticas e marcos regulatórios em Alimentação Escolar e Nutrição que integram e reforçam os seguintes componentes principais:

– A merenda escolar – oferecendo menus saudáveis, priorizando alimentos de agricultura familiar
– Educação e formação em alimentação e nutrição
– Hortas escolares
– Nutrição e ambiente de apoio à saúde

Certamente, existem muitas outras atividades relacionadas à alimentação e nutrição escolar que afetam o desenvolvimento de uma criança, especialmente a partir de uma abordagem de saúde. As seguintes intervenções merecem destaque: educação para a saúde; suplementação com micronutrientes; desparasitação; monitorização da saúde e do status nutricional; exercício e recreação; bem como outras intervenções relacionadas com a saúde pública (por exemplo, prevenção da malária).

Melhorar comportamentos alimentares inadequados e redução da desnutrição são desafios que afetam países desenvolvidos e em desenvolvimento. Investir em nutrição significa investir em capital humano, e, portanto, melhorar a capacidade de ter uma vida plena e produtiva. As escolas podem desempenhar um papel fundamental na superação destes grandes desafios; no entanto, a retenção escolar não pode ser o objetivo em si, mas apenas o primeiro passo no sentido da implementação de uma estratégia integrada para a promoção de hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida.

A FAO gostaria de ouvir experiências, opiniões e sugestões sobre o papel da escola na promoção de hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida. Perguntas propostas:

1) Você poderia fornecer comentários sobre programas de nutrição escolar ou de refeições escolares já implementados no seu país? Se assim for, eles têm sido associados a atividades de educação nutricional e menus, usando alimentos de agricultura familiar, ou qualquer outra intervenção nutricional escolar?

2) Você acha que é necessário apoiar os países na transição para uma apropriação de programas relacionados com Alimentação Escolar e Nutrição?

3) Quais são os desafios na promoção de componentes de Alimentação Escolar e Nutrição como um assunto integrado e que se reforça mutuamente?

As contribuições podem ser deixados no site do Fórum Global da FAO sobre Segurança Alimentar e Nutrição ou serem enviadas por e-mail a fsn-moderator@fao.org.

*Originalmente publicado pela FAO.