Reduzir o desperdício alimentar poderia ajudar a mitigar a mudança climática

imagcoleitaUma equipe do Instituto Potsdam para a Pesquisa do Impacto Climático, pela primeira vez, fornece projeções globais para desperdício de alimentos e emissões de CO2 associadas. Atualmente, um terço da produção mundial de alimentos é perdido. Esta percentagem vai aumentar drasticamente, se os países emergentes como China e Índia adotarem os estilos de vida ocidentais de alimentação.

“Reduzir o desperdício alimentar pode contribuir para o combate à fome, mas, em certa medida, também evita impactos climáticos mais intensos e aumento do nível do mar”, diz o principal autor Ceren Hic. “Ao mesmo tempo, a agricultura é um dos principais motores da mudança do clima, o que representa mais de 20 por cento das emissões de gases de efeito estufa. Evitar a perda de alimentos e resíduos seria, portanto, evitar emissões desnecessárias, ajudando a mitigar a mudança climática” explica Prajal Pradhan, co-autor do trabalho.

Os pesquisadores descobriram que, enquanto a demanda por alimentos na média global por pessoa permanece quase constante nas últimas cinco décadas, a disponibilidade de alimentos tem aumentado rapidamente. As emissões de gases de efeito estufa associados com o desperdício de alimentos podem aumentar enormemente, por ano, até 2050.

“Atualmente, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos por ano são descartadas”, explica Jürgen Kropp, co-autor e vice-presidente da instituição de pesquisa PIK Impactos do Clima. Embora as perdas de alimentos ocorram principalmente nos países em desenvolvimento devido à infraestrutura agrícola menos eficiente, o desperdício de alimentos também é comum em países ricos.

Fonte: Instituto Potsdam / Tradução e Edição: Planeta Orgânico